Saúde

Quais hormônios são produzidos antes da menstruação e por que eles são responsáveis?

Pin
Send
Share
Send
Send


Todos os dias muitas reações acontecem no corpo humano, algumas delas não são completas sem a participação de hormônios. A reação mais viva no corpo, que ocorre com a participação de hormônios - é a menstruação. A composição do sangue menstrual varia ao longo de cada um dos estágios do ciclo e deve mostrar certos valores em cada estágio. As mulheres precisam prestar atenção especial ao controle do background hormonal durante a menstruação, como não apenas o desempenho do sistema reprodutivo depende dele, mas também o estado geral do corpo. Quaisquer alterações no background hormonal podem desencadear o desenvolvimento de doenças de vários órgãos e sistemas do corpo.

O estado físico e psicológico de uma mulher depende dos hormônios.

Como é o sistema hormonal das mulheres? Ciclo menstrual e hormônios. Diagnóstico necessário O que causa um desequilíbrio hormonal durante a menstruação

As glândulas endócrinas, localizadas em todo o corpo, fornecem acesso total aos hormônios no sangue. O equilíbrio de hormônios no corpo de cada mulher é individual e depende de:

  • Idade das mulheres
  • Dia no ciclo menstrual.
  • Saúde geral

A tarifa de níveis hormonais na adolescência no sangue difere agudamente das indicações durante o começo de premenopause. Um papel importante no trabalho da função reprodutiva do corpo de uma mulher é desempenhado pelos hormônios, que são produzidos no hipotálamo, hipófise e apêndices. O hipotálamo e a hipófise estão localizados em lobos especiais do cérebro e são responsáveis ​​pela produção oportuna de hormônios pelas glândulas.

O hipotálamo está localizado próximo à glândula pituitária e é responsável pela produção de liberinas e estatinas, responsáveis ​​pelo bom funcionamento da glândula pituitária. Liberins são responsáveis ​​por catalisar o desenvolvimento de hormônios necessários pelo organismo, as estatinas provocam uma parada de atividade excessiva quando necessário. Esses dois tipos de hormônios não são produzidos caoticamente no corpo, e o hipotálamo recebe um sinal de todos os sistemas do corpo, na necessidade de sua produção precisa.

Todo o sistema de formação hormonal é muito difícil de trabalhar, e uma violação em qualquer das suas seções provoca um desequilíbrio de todos os outros sistemas. Assim, um mau funcionamento da glândula tireóide implica a ocorrência de mau funcionamento dos órgãos do sistema reprodutivo.

O hipotálamo é responsável pela produção correta de hormônios.

Ciclo e hormônios

O contexto hormonal está diretamente relacionado ao ciclo menstrual. Os principais hormônios do sistema reprodutivo sintetizados pela glândula pituitária - FSH e LH, afetam a função dos apêndices. São esses hormônios que produzem estrogênios e progestogênios produzidos na quantidade certa, forçando o útero a se preparar para uma possível gravidez.

O ciclo menstrual pode ser dividido em três etapas:

  1. Folicular Este período refere-se ao tempo antes da liberação do ovo dos apêndices.
  2. Ovulatório Período associado à maturação do ovo.
  3. Luteal Caracterizado pela liberação do óvulo após o envelhecimento no útero.

Período folicular

Este período é geralmente contado a partir do início dos primeiros dias da menstruação. Durante este período, há uma separação do epitélio no útero e a maturação do folículo dominante. Quando esse estágio ocorre, a mucosa uterina é salpicada de vasos sanguíneos e é preenchida com nutrientes que são destinados ao futuro embrião. Os hormônios femininos produzidos durante esse período afetam o crescimento do endométrio, seu espessamento e eliminação. O estrogênio progesterona durante este período reduz sua atividade na formulação e mostra as taxas mais baixas no sangue. É devido a esta queda nos hormônios femininos, a camada superior do epitélio uterino é rejeitada e excretada.

É durante o processo que o nível de FSH aumenta. Ele continua a crescer durante todo o estágio do estágio folicular, aumentando o tamanho do útero para que o óvulo possa ganhar uma posição segura.

O hormônio folículo-estimulante e o folículo dominante adquirem seu maior valor duas semanas após o início da menstruação. O folículo dominante provoca o crescimento de estrogênio, aumentando a taxa de crescimento do endométrio. O estágio de desenvolvimento folicular no ciclo é o mais longo, e seu comprimento diminui no período do início das mudanças climáticas. Apesar do fato de que o folículo aumenta de tamanho, não deixa o ovário, porque sua produção requer hormônio luteinizante.

O diagrama mostra o folículo dominante, a tuba uterina, os folículos imaturos e a liberação de um óvulo maduro

Estágio de ovulação

Durante o período de ovulação, o nível do hormônio luteinizante, que contribui para a maturação do óvulo nos apêndices, aumenta dramaticamente. Graças a esse hormônio, o envelope folicular se rompe e o óvulo é liberado. O período de ovulação leva de 16 a 48 horas e é caracterizado pelo fim da liberação do ovo. Após a liberação da célula, o nível do hormônio luteinizante mantém seu pico mais alto por 24 horas. É o nível correto desse indicador no sangue que permite que uma mulher engravide.

Período de luteinização no ciclo

Este período dura cerca de duas semanas após a ovulação ocorrer. O último dia desta etapa é lido no dia anterior à menstruação do próximo ciclo.

No início de uma nova fase, o folículo formado na membrana se fecha, formando um corpo amarelo. É o corpo lúteo que afeta a produção de progesterona.

A progesterona afeta os tecidos e causa um aumento do endométrio no útero, e o acúmulo de nutrientes contribui para o início do período preparatório para o embrião se ligar.

Todas essas alterações causam um aumento na temperatura basal se a concepção ocorreu. É a progesterona e o estrogênio que contribuem para a expansão dos ductos das glândulas mamárias, preparando a mama para um futuro período de lactação. O que torna o peito dolorido antes do início de um novo ciclo.

Se a concepção não ocorreu, o corpo lúteo morre 2 semanas após o início da ovulação. Durante esse período, o nível de hormônios diminui, preparando o corpo para uma nova chance de fertilização.

Se a concepção ocorre, a gonadotrofina coriônica cresce no corpo, o que indica o início da gravidez. O hormônio detalhado é capaz de produzir apenas as membranas.

Ovo fertilizado começa a produzir gonadotrofina coriônica humana

Por que o teste de hormônios é necessário? Do que as falhas hormonais são perigosas

Se uma mulher não tem doenças patológicas, e não há irregularidades no ciclo, fazer testes hormonais é uma medida preventiva. Graças ao qual você pode ver:

  • A presença de desvios da norma e o efeito do background hormonal no corpo da mulher.
  • O crescimento de tumores patológicos no sistema reprodutivo.
  • Disfunção de órgãos reprodutivos.

Para quaisquer alterações no ciclo e problemas associados com o desempenho da função reprodutiva, a mulher será mostrada para passar uma série de testes para hormônios. De acordo com os dados obtidos, o médico pode prescrever um tratamento que previna o desenvolvimento de consequências negativas.

Mesmo um ligeiro desvio da norma em termos de sinal pode indicar a presença de patologia no corpo, o que afeta o corpo como um todo. Se ocorrerem alterações nos hormônios que afetam o ciclo menstrual, haverá violação da função reprodutiva:

  • Nível de FSH. O nível do hormônio folículo-estimulante cresce no corpo, se houver uma disfunção oncológica da glândula pituitária, ou uma deficiência na função dos apêndices. Um aumento no nível do hormônio folículo-estimulante pode ser uma resposta do corpo ao alcoolismo ou ao excesso de peso.
  • O hormônio luteinizante reduz os níveis sangüíneos se uma mulher tiver anormalidades na pituitária ou na obesidade. E o aumento do hormônio luteinizante pode ser encontrado nas mulheres, na estrutura dos ovários de que há alterações que são diferentes da norma ou tumores cerebrais estão presentes.
  • Prolactina. É produzido no corpo, afetando o nível de progesterona, é capaz de suprimir o hormônio folículo estimulante durante a gravidez. Estes indicadores têm um impacto nos processos metabólicos no corpo. A prolactina assegura a produção adequada de leite durante a lactação. Com uma falta ou aumento da secreção deste hormônio interrompeu a síntese do folículo, o que pode atrapalhar o processo de ovulação. Um excesso na produção de prolactina é observado em uma doença como hipotireoidismo, ou um mau funcionamento dos apêndices ou função da hipófise.
  • Estrogênio O hormônio estradiol tem uma grande influência no ciclo. O hormônio estrogênio é produzido pelo folículo e afeta o desenvolvimento adequado do óvulo e sua produção. Níveis elevados de estradiol indicam a presença de neoplasias patológicas das glândulas supra-renais ou dos ovários. Altos níveis de estrogênio no sangue são observados em mulheres com um déficit de peso, uma vez que o corpo recebe uma quantidade adicional de estrogênio do tecido adiposo. Níveis elevados de estrogênio reduzem a probabilidade de uma mulher engravidar, quebra o ciclo e causa infertilidade.
  • Progesterona Uma alta taxa de progesterona no sangue indica a presença de tumores indesejáveis ​​nos apêndices ou glândulas supra-renais. A diminuição dos níveis sanguíneos indica um processo inflamatório dos órgãos reprodutivos. Este hormônio também afeta o início da ovulação.
  • Testosterona Apesar do fato de que, a testosterona é um hormônio puramente masculino que é responsável pelo poder masculino, seu excesso no corpo pode causar a interrupção prematura da gravidez. O aumento da produção de testosterona durante o ciclo menstrual pode afetar a ovulação, retardando o início da menstruação por um longo período de tempo. O aumento da testosterona no sangue pode indicar a presença de glândulas adrenais e insuficiência ovariana.
  • Andrógenos Este tipo de hormônios masculinos pode causar um mau funcionamento do sistema reprodutivo no corpo feminino, um aumento no nível de crescimento do cabelo ou provocar infertilidade. E um aumento do nível de andrógenos diminui a libido.

Pin
Send
Share
Send
Send