Saúde

Mensalmente após histeroscopia

Pin
Send
Share
Send
Send


Diagnóstico

A histeroscopia é um método que permite examinar o útero. Há uma histeroscopia diagnóstica e operacional. Como a maioria das técnicas invasivas, a histeroscopia requer experiência cirúrgica e habilidade do médico. Na ausência de tais, pode haver complicações que implicam um perigo para a vida de uma mulher.

Características do procedimento

A histeroscopia é realizada do sexto ao décimo dia do ciclo menstrual. Durante este procedimento, o ginecologista insere um histeroscópio na cavidade uterina, como resultado do que uma imagem de sua cavidade aparece na tela. Durante a histeroscopia, pode ocorrer dor desagradável. Seu método de tratamento é realizado sob anestesia geral e o método de diagnóstico é realizado “ao vivo”. Basicamente, esse procedimento dura de dez a trinta minutos, dependendo da gravidade da doença da mulher. No final da histeroscopia, é necessário esclarecer com o médico quanto se abster de relacionamentos íntimos. Os médicos recomendam a abstinência por três semanas após a histeroscopia terapêutica. Após o método diagnóstico, esta recomendação abrange apenas três dias.

Ciclo menstrual

Mensalmente após a histeroscopia pode ocorrer um atraso devido à retirada do endométrio durante o procedimento. A histeroscopia é realizada em caso de violações do ciclo menstrual, sangramento, pólipos, hiperplasia, miomas uterinos, quando há fetos remanescentes após um aborto ou aborto espontâneo, depois de uma cesariana, se uma mulher não consegue fisicamente suportar a criança. Basicamente, a menstruação após a histeroscopia é retomada após um mês. Se houver um problema de violação do ciclo, você precisa saber sua causa. Por exemplo, a histeroscopia foi realizada após a cirurgia, o que é chamado de curetagem do útero ou interrupção da gravidez, e nesse caso levará tempo para o corpo se reestruturar e o ciclo menstrual ser retomado. Raspagem também é chamada de limpeza do útero.

O que mais é importante saber

Este procedimento é prescrito por médicos, a fim de remover a camada superior da mucosa uterina. A maioria das mulheres percebe que a menstruação após a histeroscopia continua por muito tempo. Isso significa que, durante a operação, a membrana mucosa das trompas de falópio ou do útero foi danificada. Especialmente cuidado para quando os primeiros períodos após a histeroscopia. Se você notar uma perda muito forte de sangue, então é necessário consultar um médico urgentemente, já que apenas um ginecologista pode descobrir a causa da violação e prescrever medicamentos que eliminem esse processo. Se, após a histeroscopia, a menstruação tiver um cheiro muito forte e desagradável, uma coloração negra, então isso pode ser o resultado de qualquer doença adicional. Isso pode ser um sinal de endometriose, perfuração do útero ou sangramento uterino. A endometrite surge como resultado da introdução de qualquer infecção no útero. Ele se manifesta dentro de três dias após a cirurgia. Perfuração do útero ou sangramento uterino ocorre devido a violação das regras da operação, isto é, perfuração da parede uterina pelo dispositivo. No caso desta doença, a cirurgia pode ser urgentemente necessária. Tenha em mente que, após qualquer cirurgia, é necessário monitorar a alta e, se necessário, consultar um médico.

O que deve ser mensal após a histeroscopia?

A saúde das mulheres para todas as mulheres é a chave para o seu bem-estar e aparência bonita. As mulheres que cuidam de si devem passar no exame de um ginecologista e em todos os exames necessários em tempo hábil. Um dos procedimentos diagnósticos mais populares na ginecologia moderna é a histeroscopia. Este estudo permite examinar o útero e fazer um diagnóstico preciso. O especialista entra na cavidade uterina, que possui propriedades reflexivas, o que permite ao especialista ver a cavidade uterina na tela.

Histeroscopia uterina - um procedimento diagnóstico popular

Como em qualquer estudo, esse exame afeta o corpo da mulher e pode acarretar conseqüências que dependem do tipo de pesquisa realizada.

Existem os seguintes tipos de histeroscopia:

  • Cirúrgico É usado para resolver rapidamente os problemas do pólipo ou miomas uterinos com possibilidade mínima de lesão do corpo feminino.
  • Micro-histeroscopia. Esse tipo de pesquisa é diagnóstico. O aparelho usado para o procedimento nos permite examinar o tecido uterino no nível celular sem danificá-los.
  • Diagnóstico É um exame de rotina.

Durante o estudo, o endométrio é removido, razão pela qual a menstruação pode começar mais tarde. Mensalmente após a histeroscopia começam a ir depois de um mês do número prescrito de dias. Mas às vezes o ciclo pode ser quebrado e, em seguida, você precisa consultar um ginecologista e passar pela pesquisa necessária para determinar a causa do problema. Se houve uma violação do ciclo menstrual após a cirurgia, então não se preocupe, porque levará algum tempo para restaurar totalmente o corpo.

Endométrio - a casca do útero, se você removê-lo, a menstruação começará mais tarde

O efeito do procedimento na menstruação depende do tipo de histeroscopia realizada:

A histeroscopia diagnóstica raramente causa distúrbios no ciclo.

Após o procedimento, as mulheres podem mudar não apenas o tempo do início da menstruação, mas também a natureza do sangramento. Todas as mudanças que podem ocorrer dependem da reação do corpo feminino. Ninguém será capaz de prever a natureza da menstruação após o estudo, porque tudo depende das características do corpo feminino.

Algumas mulheres podem ter períodos pesados, enquanto outras podem ter pequenos esfregaços de sangue. Nem no primeiro nem no segundo caso, isso não pode ser considerado uma patologia. A natureza da descarga depende da capacidade de recuperação da membrana mucosa do útero.

Mas é melhor que uma mulher siga algum tempo para a alta, e se ela estiver preocupada com alguma coisa, consulte o ginecologista. É necessário prestar atenção à consistência, cor e cheiro da descarga. Sinal de alarme são corrimento marrom com um odor desagradável. Esse sintoma pode ocorrer com o desenvolvimento de inflamação pós-operatória.

Em alguns casos, após a histeroscopia, períodos muito intensos são observados.

Mensalmente após a histeroscopia pode diferir do que eram antes do procedimento. Portanto:

As mulheres devem lembrar que, apesar da inocuidade da histeroscopia, é uma operação que viola a integridade dos tecidos. Isso aumenta o risco de infecção no período pós-operatório. Portanto, as mulheres devem cumprir rigorosamente todas as prescrições terapêuticas do médico e as regras de higiene pessoal.

Menstruação após histeroscopia

A histeroscopia é um método altamente informativo para o diagnóstico da cavidade uterina. Tem várias vantagens e vantagens. Muitas vezes, após a histeroscopia, períodos intensos podem perturbar uma mulher, que é a resposta do corpo a uma intervenção. Você também precisa lembrar que é sempre individualmente. Ninguém pode prever como o ciclo menstrual será restaurado e como irá fluir, quando os períodos mensais começarão e por quanto tempo durarão.

Então, a histeroscopia é um exame instrumental do útero. Ele permite que você examine o útero completa e completamente, para identificar danos ao endométrio, tumores e outras neoplasias. A principal vantagem do método é a capacidade de remover diretamente as formações durante o procedimento, fazer uma biópsia e realizar as manipulações necessárias. A remoção de pólipos, aderências e alguns outros desdobramentos da membrana mucosa ocorre no curso da histerorretoscopia.

Por que a histeroscopia aparece após a histeroscopia? A recuperação da menstruação após a histeroscopia ocorre em diferentes intervalos de tempo. Às vezes deve levar muito tempo, às vezes - os primeiros períodos menstruais depois da operação podem vir a tempo e não se diferenciarão dos anteriores. Em alguns casos, a menstruação pode começar ainda mais cedo do que o habitual.

Deve ser lembrado que cada organismo é individual e a reação é impossível de prever.

Se a histeroscopia foi realizada para diagnosticar o estado dos órgãos após a curetagem, então os períodos menstruais após a histeroscopia de ciclismo ocorrem dependendo do estado hormonal. A curetagem diagnóstica separada (EFD) é realizada na seguinte sequência: primeiro, o material é retirado do canal cervical e, depois, do útero. O estudo é realizado alguns dias antes da próxima menstruação, ou alguns dias depois, na segunda metade do ciclo. Dependendo da taxa de cicatrização do tecido, o ciclo menstrual será restaurado. No caso de um aborto, ocorre uma forte reestruturação, o que causará um atraso na menstruação.

Uma infecção pode ocorrer durante a cirurgia. A probabilidade disso é baixa, mas ainda está lá. Em caso de infecção, começam os períodos dolorosos. Neste caso, haverá uma recuperação a longo prazo do corpo e já estamos falando aqui sobre salvar a vida e a saúde.

Muitos pacientes que se submeteram a cirurgia, note que algum tempo depois que veio muito pesado períodos. Sua duração também varia, os primeiros períodos após a intervenção serão mais longos do que antes. Quando será o próximo mensal, e quanto será restaurado ciclo é difícil dizer.

Nós analisamos em ordem. Como determinar o tamanho do problema? Observe com que frequência a junta deve ser trocada. Com muita secreção - mais frequentemente do que uma vez a cada 3-4 horas. Então você deve consultar seu médico, que lhe dirá o que fazer. Você também precisa prestar atenção se há a necessidade de mudar os produtos de higiene à noite. Se uma mulher está preocupada com a duração do seu período, o que lhe traz desconforto, então você definitivamente deve procurar ajuda médica. Quantidades abundantes de sangue menstrual podem causar fraqueza e interferir muito com a vida.

O que mensalmente em volume e se sua quantidade varia é muito importante. Muitas vezes vêm períodos escassos após a histeroscopia. Isto pode ser devido ao fato de que, por vezes, após a cirurgia, a natureza da menstruação é invertida. Ou seja, se antes eram abundantes, agora serão escassos e duram menos, ou vice-versa.

A estrutura da descarga pode mudar. Isso significa que coágulos aparecem, a cor da descarga e o cheiro mudam. As alterações começam imediatamente após a histeroscopia. A menstruação com coágulos pode estar diretamente relacionada ao período pós-operatório, quando ocorre a secreção de sangue. As mulheres notam que a menstruação neste caso começou antes do esperado. Um cheiro desagradável pode indicar uma infecção de acesso. Quão perigoso é, até mesmo não precisa explicar. O processo de infecção pode afetar não apenas os órgãos genitais, mas também ir além, tornar-se generalizado.

Quaisquer mudanças na natureza da menstruação devem alertar a mulher e forçar a procurar ajuda!

A menstruação marrom após a histeroscopia pode indicar endometriose. Se a menstruação foi prematuramente, antes do tempo esperado, é mais provável que seja uma alta pós-operatória.

A menstruação após a histeroscopia pode ser dolorosa. O fato é que a operação, especialmente com a ressecção de tumores, é um fator prejudicial para a mucosa uterina. Ela precisa de tempo para curar, restaurar o trabalho completo. Este período é acompanhado de dor. Não há quase nenhuma chance de que eles permaneçam para sempre.

Para uma rápida recuperação e restauração da função sexual, a mulher deve seguir todas as recomendações de especialistas.

É necessário abster-se de relações sexuais por até um mês. Depende de quanta intervenção foi realizada. Certifique-se de limitar a atividade física e não levante coisas pesadas. Uma mulher deve ser protegida de hipotermia ou superaquecimento.

Em caso de infecção, o paciente deve tomar os medicamentos prescritos, seguir todas as regras de higiene pessoal. A recuperação da cirurgia é um processo longo, pode levar um tempo diferente. A recuperação é mais dependente do paciente.

Características e tempo da próxima menstruação após a histeroscopia

Método moderno de diagnóstico e tratamento de problemas ginecológicos - histeroscopia. Representa uma penetração de baixo impacto na cavidade uterina com uma sonda especial, que é equipada com uma câmera de vídeo. Em alguns casos, um exame visual é combinado com uma operação, portanto, as mulheres que se submeterão a esse procedimento estão interessadas em como a menstruação passa após a histeroscopia.

O método da histeroscopia é usado quando é necessário fazer um diagnóstico preciso, realizar uma biópsia do endométrio, remover pólipos crescidos ou a camada interna do órgão genital. Eles recorrem à histeroscopia, quando aderências ou partições dentro do útero devem ser removidas. Ele é usado no âmbito da fertilização in vitro, se você quiser colocar embriões no útero.

Se o procedimento for prescrito para fins de diagnóstico, então não dura muito tempo - cerca de meia hora e não requer anestesia. A operação cirúrgica é realizada em condições estacionárias e envolve o uso de anestesia geral. É feito com moderação, e é por isso que, após a histeroscopia no segundo dia, uma mulher pode ir para casa.

A histeroscopia para fins de diagnóstico praticamente não tem efeito sobre o ciclo menstrual. Este procedimento é geralmente realizado imediatamente após o fluxo menstrual ter parado. Neste momento, o endométrio ainda não é muito espesso, o que permite uma boa visão de sua superfície e cavidade uterina.

Normalmente, após a histeroscopia, a menstruação começa exatamente no horário ou muda de 2 a 3 dias. Depende das características do corpo feminino. A histeroscopia cirúrgica, durante a qual ocorre a curetagem da membrana mucosa sob o controle de uma câmera de vídeo, pode afetar o tempo de início da menstruação seguinte.

Isso se deve ao fato de que o descolamento artificial do endométrio fere as paredes do útero e começa a sangrar. Mensalmente após a cirurgia vai até 3 semanas, às vezes um pouco mais. Quando a menstruação pode vir depois disso depende da resposta individual à operação. Algumas mulheres experimentam uma falha no ciclo no primeiro mês após a curetagem, mas logo se normaliza.

Se levarmos em conta que o endométrio é removido durante a histeroscopia cirúrgica, o dia da cirurgia é realizado no primeiro dia do novo ciclo mensal. Após a manipulação, forma-se uma nova camada que reveste o útero. Assim que ele estiver maduro, a menstruação começará novamente.

Em algumas mulheres, o período de sua ocorrência é alterado muito ligeiramente - a menstruação pode começar apenas alguns dias depois, enquanto em outros o atraso pode durar muito tempo. Mas desde que a operação não afeta os hormônios, o ciclo menstrual é normalizado dentro de alguns meses. A rapidez com que isso acontece depende da história de doenças infecciosas, abortos, número de nascimentos e outros fatores que afetam a saúde da mulher.

Os períodos regulares depois da raspagem da histeroscopia podem ir com as secreções mais escassas, do que antes, e ao mesmo tempo duram vários dias mais longos. Não é assustador se, em vez do habitual sangue com pequenos coágulos, uma mulher notar durante este período, só caia sobre uma almofada ou um pique sangrento. Depois de algum tempo, a quantidade de descarga é normalizada.

Poucos períodos após a histeroscopia apareceram com um odor pungente, adquiriram uma tonalidade incomum - vale a pena o alerta. É possível que um processo infeccioso se desenvolva nos órgãos reprodutivos. Neste caso, você deve adiar todos os casos e ir ao seu ginecologista, que prescreverá o tratamento apropriado.

Muito sangue, que uma mulher perde quando a menstruação chega, também deve atrair atenção especial. Normalmente, a troca da junta não dura mais de 3 horas. Se ficar encharcado mais rápido, vale a pena soar o alarme. A fim de evitar hemorragias graves, uma necessidade urgente de ir ao médico.

Possíveis complicações após histeroscopia cirúrgica

O sangramento, que pode começar como menstruação, causa anemia. Nessa condição, a quantidade de hemoglobina no sangue diminui e os órgãos são insuficientemente supridos de oxigênio. Pele pálida, fadiga e tontura são aqueles sinais em que uma mulher pode suspeitar de perda sangüínea severa.

Sangramento escasso, que ocorre após uma histeroscopia com curetagem, pode vir com uma deterioração do estado geral. Иногда женщины жалуются на боли внизу живота и повышенную температуру тела. Это может быть свидетельством того, что при операции в маточной полости остался кусок эндометрия. Либо в детородный орган попала инфекция и теперь развивается эндометрит.

A histeroscopia é uma operação que deve ser realizada por um cirurgião de alta classe. Afinal, um movimento errado pode levar a sérias conseqüências que surgem quando as paredes do órgão reprodutor são danificadas. O desenvolvimento de inflamação associada à infecção de uma ferida no interior do útero pode causar infertilidade.

As recomendações que os médicos dão aos seus pacientes dependem do tipo de histeroscopia realizada. Se foi um procedimento diagnóstico, e poucos dias depois disso não há alta, então depois de 10 dias você pode fazer sexo. Não há restrições quanto ao modo de trabalho e descanso.

Se a histeroscopia cirúrgica foi realizada, a lista de recomendações médicas é mais extensa. Os especialistas aconselham evitar relações sexuais no primeiro mês após o procedimento, explicando que leva tempo até que a ferida no útero cure. Além disso, durante este período, existe a probabilidade de infecção durante a relação sexual.

Também os ginecologistas recomendam:

  • abster-se de visitar saunas, banhos, piscinas,
  • tomar banho, lavar com meios especiais para higiene íntima,
  • não douching, pare de usar medicações vaginais,
  • não use absorventes higiênicos, substituindo-os por gaxetas,
  • limitar o esforço físico
  • descansa muito, dorme bem,
  • Coma alimentos que melhorem a função intestinal.

Após a cirurgia, o médico prescreve um ciclo de antibioticoterapia. Ao mesmo tempo, ele deve concentrar a atenção da mulher no fato de que a aspirina e outros medicamentos para diluir o sangue não podem ser usados. Durante a primeira e segunda semana após a histeroscopia, a mulher deve monitorar a temperatura corporal, medindo duas vezes ao dia.

Perguntas frequentes

Pergunte aos nossos visitantes e especialistas.

Todas as consultas são absolutamente gratuitas.

© 2017. Site sobre o ciclo menstrual

e suas frustrações

Todos os direitos reservados.

A informação é dada apenas para informação geral e não pode ser usada para automedicação.

Não é necessário se automedicar, pode ser perigoso. Sempre consulte um médico.

No caso de cópia parcial ou completa dos materiais do site, é necessário um link ativo para ele.

Características da menstruação após histeroscopia

A histeroscopia é um procedimento moderno extremamente importante para o diagnóstico e tratamento de uma série de doenças ginecológicas. Através deste evento, é possível eliminar em detalhe a patologia, examinar o útero e combater os fatores causais que causaram a infertilidade. Se vale a pena realizar este evento, o especialista decide, guiado pela presença do testemunho e sua relação com o dano provável do evento. Mas a última palavra, como em várias outras situações, permanece com o paciente. Um dos principais fatores que podem ser observados durante a implementação do procedimento é a alteração mensal após a histeroscopia. Considere as causas das flutuações no ciclo e as características da luta contra as conseqüências desse evento.

A histeroscopia é um tratamento manipulador de natureza diagnóstica, que permite fazer uma avaliação visual do útero e determinar a presença / ausência de processos patológicos dentro dele. Através da metodologia de pesquisa pode ser detectado:

  • anomalias da estrutura do corpo,
  • a necessidade de uma operação
  • patologias presentes,
  • neoplasias
  • objetos estranhos.

A histeroscopia é um método de exame endoscópico e é realizado usando um histeroscópio por um profissional treinado. Se considerarmos a tradução literal do procedimento da língua grega, parece que “examine o útero”. A manipulação pode ser diagnóstica e terapêutica, dependendo do objetivo do exercício. No primeiro caso, a tarefa não é apenas um exame detalhado da superfície do útero, mas também a coleta do endométrio para biópsia. Na segunda situação, o médico realiza uma cirurgia para remoção das formações patológicas. Portanto, não é surpreendente que os períodos após a histeroscopia mudem, seu ciclo seja atualizado e a própria natureza da alta também possa estar sujeita a mudanças.

Dependendo do objetivo, a histeroscopia pode ser, como já mencionado, diagnóstico e cura. O diagnóstico é necessário para identificar problemas corporais e outras decisões sobre sua eliminação. O processo médico inicia-se imediatamente após o exame da cavidade uterina interna, tradicionalmente é destinado a intervenção cirúrgica, a fim de eliminar pólipos, ressecção de miomas, eliminar aderências. Outro tipo de evento é o tipo de controle de operações, executa-se depois de certo período de tempo (normalmente 6 meses) depois de procedimentos intrauterinos. Para que a operação seja realizada qualitativamente, é necessário expandir o útero, bem como garantir a expansão completa das paredes uterinas. Para fazer isso, no meio de entrada da cavidade uterina.

Mensalmente após a histeroscopia pode estar sujeito a alterações. Se eles são pequenos e curtos no tempo, isso é normal. Esta condição passa sem intervenção externa em algumas semanas. Se o fluxo menstrual tiver enormes diferenças em relação à descarga usual, você deve consultar seu médico e tomar medidas terapêuticas urgentes. Existem várias condições que podem ser encontradas após o evento.

Ginecologistas, realizando a implementação deste procedimento, procuram alertar imediatamente o paciente que existe uma chance de atraso. Tradicionalmente, um processo de recuperação completo requer um mês para o corpo feminino, mas, como em outros lugares, há certas exceções nessa situação. O estudo atua como uma situação estressante, de modo que a menstruação após a histeroscopia pode ocorrer de 1 a 2 ou até 3 semanas mais tarde do que o esperado. Mas sua duração e consistência devem ser as mesmas que em condições normais.

Se este processo for acompanhado de curetagem, o estado normal é uma alteração no ciclo, igual no número de dias ao período a partir do último mês e terminando a data do procedimento. Por via de regra, a primeira descarga do sangue aparece depois de 30 dias. Se os dias críticos não tiverem chegado durante o período de sete semanas, este deve ser um motivo sério para visitar o especialista assistente, porque a condição exige a necessidade de um processo terapêutico. Ocasionalmente, condições graves na forma de espasmo cervical, que não têm os melhores efeitos, atuam como um fator causador de tais mudanças.

Se a duração do fluxo da menstruação está sujeita a mudanças, isso pode ser a norma e não atuar como um sinal de um processo patológico sério. A causa dessa condição é a resposta pessoal do corpo da mulher ao processo cirúrgico. A menstruação dura um período determinado pelo estado da saúde da mulher, pelo número de abortos realizados ou pelo processo genérico, pela presença / ausência de patologias. Se dias críticos prolongados forem seguidos por dor e alterações na consistência da descarga, é necessário consultar um ginecologista.

Mensalmente após a remoção do útero também pode vir antes do previsto. O fato é que, devido ao estresse e ansiedade, ocorrem vários ajustes no ciclo menstrual, em particular, mudanças de regularidade. Esse fator é a principal razão para o início antecipado desses dias. Em tal situação, é necessário garantir o monitoramento regular do seu próprio bem-estar, a fim de determinar oportunamente o sangramento uterino ou o processo inflamatório. Em tais situações, os "casos" podem ser acompanhados por dor no baixo-ventre e parte inferior das costas.

Muitas vezes, os pacientes encontram, em vez da alta habitual, escassa descarga de sangue. Esta situação pode ser considerada absolutamente normal, por isso não vale a pena o pânico. O fator causal chave deste fenômeno é o fato de que um especialista fez uma coleção de tecidos endometriais durante o procedimento, de modo que ela não tem tempo para se recuperar. Se a descarga escassa é escura, e também é acompanhada por uma deterioração no estado geral do paciente, febre, dor, existe a possibilidade de um processo infeccioso. Uma necessidade urgente de consultar um especialista.

O surgimento de menstruação abundante atua como um sinal de alarme para todas as mulheres. Se durante os dias críticos uma mulher é forçada a trocar a gaxeta a cada 2-3 horas, e há também uma diminuição na pressão arterial, um sinal de fraqueza, este é um motivo sério para consultar um médico. Em nenhum caso, não deve começar o auto-tratamento, porque apenas por um especialista experiente pode atingir um estado normal e reduzir a perda de sangue. Se você recorrer a um bom médico, seu período será ajustado.

Qualquer intervenção cirúrgica acarreta danos à integridade do tecido. Neste caso, o ciclo menstrual será quebrado. Essa condição se manifesta pelos seguintes motivos:

  • provável infecção durante ou após a manipulação,
  • diluição da camada endometrial que ocorreu durante o procedimento,
  • estados e situações estressantes e deprimidos
  • perturbações hormonais (especialmente se a manipulação foi realizada para interromper a gravidez).

Todas estas razões são extremamente significativas para o corpo e são projetadas para ter um impacto sério sobre ele.

Se o evento for realizado para fins de diagnóstico, seu resultado não afetará de maneira alguma o estado do ciclo menstrual. Essa condição ocorre quase imediatamente após a manipulação. Durante este período de tempo, o endométrio tem um pequeno indicador de espessura. Normalmente, após esse evento, os dias críticos chegam a tempo ou com um atraso máximo de 2 a 3 dias. Este período de tempo depende das características individuais do corpo da mulher. A intervenção cirúrgica, sob a influência de mudanças ocorridas, pode ter um impacto mais significativo nos períodos menstruais. Isso pode ser explicado pelo processo artificial de descolamento endometrial e pela lesão das paredes uterinas.

A menstruação que ocorreu após a operação dura cerca de 3 semanas. Às vezes esse período pode ser mais longo. Quando chega, depende da resposta pessoal do corpo à operação. Em algumas mulheres, a falha ocorre apenas nos primeiros dias e, em seguida, o estado volta ao normal. Ao mesmo tempo, parte do belo sexo é forçado a sofrer de falhas mais longas. Se considerarmos que durante esse evento o endométrio é removido, então o dia da cirurgia é considerado o primeiro dia do novo ciclo.

Depois que o procedimento é completado, uma nova camada é criada, após sua maturação um novo ciclo menstrual entra em jogo. Algumas mulheres vêem apenas uma ligeira mudança no tempo - apenas alguns dias, enquanto outras mulheres têm um atraso de semanas. Mas desde que a operação não afeta o estado do fundo hormonal, o ciclo normaliza ao longo de vários meses. A rapidez com que isso acontece depende da presença na história de várias doenças.

A histerectomia é um evento que pode causar certas dificuldades e dificuldades.

Sangramento começando como dias críticos. Este processo pode causar um estado de anemia. Neste caso, há uma redução na quantidade de hemoglobina, bem como um suprimento insuficiente de oxigênio para os órgãos. Para este estado é adicionado mais alguns sinais, consistindo em tontura, fraqueza geral e perda de força.

A ocorrência de baixa descarga sangüínea. Muitas vezes eles estão no caso quando a medida é realizada junto com raspagem. Neste caso, o estado geral de saúde de uma mulher pode deteriorar-se visivelmente. Às vezes a dor se manifesta no baixo-ventre e, às vezes, um estado febril é formado. Este estado de coisas pode ser um sinal de um resíduo na cavidade uterina de uma parte do endométrio, bem como uma infecção no trato genital.

O evento deve ser realizado por cirurgiões profissionais de alta classe. Afinal, se pelo menos um movimento errado for observado, isso pode ser o resultado de sérias conseqüências na forma de infertilidade, tumores de câncer, doenças inflamatórias e infecciosas graves do trato genital.

indicando o link ativo para a fonte

Por que são períodos escassos após a histeroscopia?

Mensalmente após a histeroscopia não deve diferir daqueles antes do procedimento, exceto quando houve problemas com sua escassez ou o ciclo não foi estabelecido. Na maioria dos casos, a histeroscopia normaliza o ciclo menstrual.

Devido ao fato de que o procedimento é realizado no dia seguinte ao final da próxima menstruação, o período após a histeroscopia deve ocorrer no devido tempo, embora os desvios sejam possíveis, tanto para cima quanto para baixo.

A histeroscopia é um procedimento invasivo que requer boas habilidades do cirurgião. É realizado como parte de um diagnóstico, confirma ou refuta o diagnóstico e pode ser realizado com o objetivo de tratar ou utilizar um biomaterial para pesquisa. Mensalmente após a histeroscopia não deve haver diferenças significativas em relação ao habitual. Dentro da faixa normal, o ciclo menstrual deve se recuperar em um mês, e a data da histeroscopia é o primeiro dia do ciclo. Isto é devido ao fato de que este procedimento é feito por 6-10 dias após o início da próxima menstruação.

A escassez de menstruação após a histeroscopia depende da individualidade de cada mulher, pois o corpo reage de maneira diferente aos estímulos. O ciclo pode começar mais cedo, pode começar mais tarde, a seleção pode ser mais abundante do que o habitual ou representar um pique, é impossível dizer com antecedência. Normalmente, a escassez de secreções se deve ao fato de que o endométrio está sendo raspado durante o procedimento, e sua camada ainda pode ser bastante fina no início da menstruação, daí o incomum, pequeno em tamanho, menstruação.

A duração da menstruação também pode ser maior, ou talvez menor, em apenas alguns dias. Mas isso passa, mas se a descarga tem um cheiro desagradável e uma cor incomum, esse é um sinal alarmante, uma necessidade urgente de consultar um ginecologista, já que é mais provável que seja uma infecção que tenha se juntado, e um tratamento imediato é necessário.

Você deve prestar atenção ao corrimento abundante, e se eles são muito grandes, este também é um motivo para ir ao médico para que ele possa dizer com certeza se o sangramento foi aberto. Normalmente, a troca de juntas deve ocorrer pelo menos três horas, é considerada a norma. Se for necessário enviar procedimentos higiênicos com mais freqüência, isso é um desvio da norma, uma visita a um ginecologista é necessária.

Durante a histeroscopia, o médico examina a cavidade uterina com uma câmera de vídeo em miniatura que alimenta a imagem para a tela e, se houver uma patologia, ela pode ser vista. E este procedimento não é tão inofensivo, então você deve se abster de intimidade sexual por pelo menos vários dias, se apenas diagnósticos foram realizados, e por três semanas, se as manipulações médicas foram realizadas. Caso contrário, você pode trazer a infecção para a cavidade uterina e depois a histeroscopia mensal não estará dentro dos limites normais.

A histeroscopia é realizada nos seguintes casos: quando a cirurgia foi realizada na cavidade uterina, como curetagem quando o endométrio cresce, após um aborto ou aborto espontâneo. Se é impossível conceber uma criança, quando não há pré-requisitos para isso, se uma mulher tem sangramento uterino no período da menopausa, com desenvolvimento anormal do útero, se há pólipos no mesmo. E o mais importante, desta forma você pode detectar o mioma, ou um tumor da camada muscular uterina. Da mesma forma, a histeroscopia ajuda a detectar malignidade endometrial.

Se houver processos inflamatórios no útero ou nos genitais, a histeroscopia não pode ser realizada. Se o câncer do colo do útero é detectado, a gravidez ocorreu, há um sangramento uterino pronunciado, a histeroscopia também é contra-indicada. Antes de conduzir este exame, a mulher deve passar por uma série de testes, necessariamente sangue e urina, bem como pela presença de infecções, HIV, hepatite e sífilis. Também precisamos de um esfregaço para determinar a pureza da vagina, se há bactérias nela.

Não é necessário ter medo desse tipo de exame e tratamento, se a cirurgia for necessária, será feita sob anestesia geral e não é necessária para o diagnóstico. Manipulações são vivas, as sensações são desagradáveis, mas não são muito dolorosas. Após a histeroscopia por alguns dias, há descargas sanguinolentas, mas elas estão dentro da normalidade e desaparecem em poucos dias.

Se a menstruação após a histeroscopia for muito diferente do ciclo usual, você nunca deve deixá-la desacompanhada, você deve definitivamente visitar o médico para que não haja ameaça à saúde e até à vida. Pequenos desvios são a norma, eles passarão por eles mesmos.

A saúde precisa ser mantida, incluindo a saúde da mulher, e para isso, em caso de mau funcionamento de algum órgão, você deve consultar imediatamente um médico. Ele prescreve um exame, incluindo histeroscopia.Ao mesmo tempo, o ciclo menstrual é normalizado e os períodos menstruais após a histeroscopia começam a chegar a tempo.

Recomendamos ler

© 2000–2017 Tudo é útil sobre medicina "Medokno"

Pin
Send
Share
Send
Send